Parece engraçado, mas nos últimos tempos várias pessoas de diferentes lugares vieram falar comigo sobre a faculdade de Gastronomia.  Me formei faz pouco tempo, talvez seja até pretencioso falar sobre o que é certo ou errado, ou que curso fazer ou deixar de fazer. A única coisa que digo é que a cozinha é, e sempre será, apaixonante ou até viciante. Praticamente um caso de amor e ódio com momentos de extrema felicidade e outros de stress absoluto.
Sendo assim deixo um trecho da introdução do livro “Cozinha confidencial” escrito por Anthony Bourdain. Falarei sobre esse livro em outra oportunidade mas acho que o trecho retrata exatamente a relação com a cozinha da qual falei.

Para mim, a vida de cozinheiro tem sido um longo caso de amor, com momentos tanto sublimes quanto ridículos. Mas da mesma forma como acontece com os casos de amor, na hora da saudade os tempos felizes aparecem mais nítidos – as coisas que o enredaram, aquilo que o atraiu em primeiro lugar, o que não para de puxá-lo de volta.

Anúncios